terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Love, love, love

14 de fevereiro. Para todo o mundo, dia de São Valentim (Valentine’s Day); para alguns países, quase o equivalente ao nosso 12 de junho. Quase. Porque o Valentine’s não fica só na ladainha dos cartões rosa-choque, buquês vermelhos e caixas de Ferrero Rocher. Não se restringe às namoradices propriamente ditas. O Valentine’s é Dia do Amor em seu tudão: nos casaizinhos, sim, mas também entre pai e filho, vô e neta, primão e primito, dois amigos, duas amigas. É o dia inteiramente feliz daquilo que, no conjunto, importa.

Lindo esse aspecto da celebração (mais cara aos americanos que a quaisquer outros). Pois não é, ou não deveria ser toda ligação humana uma espécie de namoro? Colocar em cada atendimento a doçura do flerte, em cada aula a vibe da conquista, em cada “oi” uma atenção de reverência – fórmula geral do eterno Valentine’s. Ideal é isso: que paqueremos dizeres alheios com piscadas de interesse genuíno, que proponhamos recreio aos desconsolados, que saremos com bombom (ainda que metafórico) a tristeza de outrem, que ofereçamos flores aos ambientes, que busquemos, que ouçamos, que sirvamos, que nos disponibilizemos. Ideal é que estejamos em estado de apaixonamento ininterrupto, e portanto abertos à tarefa de, em todos os bons sentidos, seduzir.

Neste 15, neste 16, neste 26, neste 29 de fevereiro – e neste março, e maio, sem esquecer cada novembro e dezembro –, tome juízo enfim: seduza. Não (apenas) no sentido erotizado, mas no largamente humano. Seduza de abrir caminho para si, e em si, e para o outro. Seduza de puxar a cadeira, para fazer cair de moda o hábito de puxar o tapete. Seduza de se escangalhar de riso, para afastar a tentação de escangalhar de maus humores a tarde. Seduza de embrulhar presente como se fosse o último, para largar o costume de embrulhar estômagos por ogrice incorrigível. Seduza: tire da gaveta, cada manhã, uma versão mais fresca e limpa de si mesmo, com o capricho de quem planeja pedir o dia em casamento.

Ou com a docilidade de quem trama ser pedido. E aceitar.

2 comentários:

Andy A. disse...

Todo dia é dia de celebrar o amor ...

http://andyantunes.blogspot.com/

Cicero Edinaldo disse...

o dia de ontem, valentines day, foi tenso pra mim!...DESISTIR DE UM AMOR!
não estava muito inspirado para viver este dia com intensidade. Estou disposto a encontrar um novo amor até o dia dos namorados (do Brasil)
--
bjos infinitoss!