quinta-feira, 23 de junho de 2011

Chegadas e partidas

Outro dia visitei um blog (http://dontbalela.blogspot.com) e me deparei com a frase da owner Mari Noli: “Minha mãe me ensinou a chegar e a sair”. Herança rica por demais. Chegar e sair como se deve não é para qualquer um. Lembrei a cena de Tomates verdes fritos em que uma personagem consola a outra pela morte da amiga muito amada: “Ela era uma dama, e uma dama sempre sabe a hora de ir embora”.

Chegar a uma relação requer tato, olfato, algumas caixas de lenços, coração de janelas abertas. Sair dela pede tato em dobro: é preciso pisar leve para não espantar o passado feliz – pra não deixar a autocomiseração e a partilha de CDs virarem deselegância.

Chegar a uma festa ou restaurante sozinha: pesadelo das mulheres. Bobagem. Quem é mais si-mesma não carece de burcas metafóricas. Veste-se da própria pele na versão último tipo, entra, arrasa e sai sem uma gota de álcool ou flagrante de Facebook a mais, sem um amigo ou paetê a menos. Absoluta.

Chegar ao outro para confortá-lo implica em ouvidos on e celulares off. Sair de um chato exige um mínimo de molejo e artes dramáticas. Chegar ao pódio deixa um rastro de suor e feriados perdidos. Sair de uma carreira fossilizada demanda britadeiras (hábito é coisa dura, mas seus cacos dão bons degraus). Chegar a uma cidade – melhor se faz com malas e expectativas pequenas, paciência e gentileza colossais. Sair dela: também. Com a diferença de dois ou três suvenires.

Para chegar ou sair é preciso sumamente: leveza. Leveza de si. Para despir as neuras na portaria e lá deixá-las depois, dentro da caixinha dos achados – mas não necessariamente perdidos.

5 comentários:

Anônimo disse...

Chegar e sair, além de um comportamento de estirpe, representa a pessoalidade de nosso caráter.


Muito obrigado por sua visita ao gustavolincolnadm.blogspot.com

daniele disse...

mim segui q te sigo de volta bjs

felipe leon disse...

Boa a recordação deste filme que é ótimo ... e a ideia do post também
http://fleonandthecity.blogspot.com/

Don't Balela disse...

Fer, Adorei que citou meu pensamento e meu blog ai :D vou tentar divulgar isso no meu :)

já te sigo, adoro seu blog
me segui se gostou :)
Bejos

bia santos disse...

Minha mãe sempre dizia: "quem fica até o fim da festa, não presta"

Sem ser clichê, você já deve estar cansada de ouvir isso:

Você escreve muito bem...

Adorei cada palavra...