sábado, 30 de julho de 2011

Eu passarinho

De certas criaturas neste mundão, a gente gosta de graça. A gente as adivinha. Uma delas, viva fosse, completaria hoje 105 anos. Tinha olhos doces, esparramados; tinha bochechas molinhas de vô (embora não houvesse filhos ou netos para apertá-las: desperdício). Tinha sacadas poéticas que valiam compêndios (“A esperança é um urubu pintado de verde.” Como eu ri na aula de literatura!). Tinha a ironia fina, o sarcasmo macio, sem ressentimentos, de responder à mais absurda das injustiças literárias – por três vezes tentou ingressar na ABL, sem conseguir – com um de meus favoritos, o suculento “Poeminha do contra”: “Todos esses que aí estão/ Atravancando meu caminho,/ Eles passarão.../ Eu passarinho!”.

Eu quem? Mario de Miranda Quintana. “Mario” assim mesmo, sem acento por toda a vida, que era para não pesar demais e afivelá-lo ao chão.

Meu causo preferido de Quintana ilustra bem sua passarice d’alma. Por doze anos, o poeta residiu no Hotel Majestic, em Porto Alegre. Foi, porém, despejado quando o jornal Correio do Povo fechou temporariamente e deixou de assalariá-lo. Amadíssimo, Quintana recebeu a ajuda do ex-jogador Falcão (os pássaros se ajudam!), que o hospedou num hotel de sua propriedade. Uma amiga achou esmirradinho o quarto e Mario respondeu, fazendo jus à fama de poeta do simples: “Eu moro em mim mesmo. Não faz mal que o quarto seja pequeno. É bom, assim tenho menos lugares para perder as minhas coisas”.

Calculo quantos dias, décadas ou milênios me faltam para chegar a esse grau de flutuância, para restringir-me toda ao poleiro de mim mesma, para ser-me suficiente no lugar em que pouso, para ajuntar em mim o que vou deixando física e emocionalmente espalhado pelo caminho. Tento descobrir quando vou ser mais mária, menos vária, com menos bagagem de sólido e mais de fluido, com menos essencial visível aos olhos, com menos pedaço perdido nesse tantão de espaço que cismo em arrastar. Somos tão ancorados, todos.

Em honra sua, Mario, e à leveza transparente dos (que Manuel Bandeira chamava não de cantares, mas de) quintanares, suspendo as âncoras pelo menos por hoje. Dia de viver e amar baixinho, de não se gritar de cima dos telhados. Dia de pluma, de bolha, de brisa, de luz, flor, asa, arco-íris, perfume. De eles passarão, de nós passarinho.

Na impossibilidade de suficiente dedicatória, entrego-lhe o dia etiquetado com quintanares seus: “Eu queria trazer-te uns versos muito lindos/ colhidos no mais íntimo de mim.../ Suas palavras/ seriam as mais simples do mundo,/ porém não sei que luz as iluminaria/ que terias de fechar teus olhos para as ouvir.../ [...]/ Trago-te palavras, apenas... e que estão escritas/ do lado de fora do papel...”.

Mas voando de dentro, inteirinhas. Feliz aniversário.

8 comentários:

Acácio Neto disse...

Não sabia que era aniversário de Mario Quintana.

Gostei do seu blog e do esquema de cores. Ficou bem acolhedor.

Abraços
Acácio Neto
www.acacioneto.com.br

Rejane Ferreira disse...

Adorei o texto, mto bom mesmo. Mario Quintana não é o meu poeta preferido, mas gosto de algumas coisas escritas por ele.
Gostei mto do blog tb, vou seguir, se quiser retribuir.. http://rejane-ferreira.blogspot.com/

Agradeço pela visita e comentário no meu blog!

Um abraço e sucesso à vc tb! =)

Bixa Má disse...

Oiee menina gostei da foto! kkk para melhora devia ser eu periquitinha!!!


visita ai: http://bixamal.blogspot.com/



*Postagem de Hoje é Especialmente para meninas*

Fernando disse...

Mário Quintana é eterno! Quem nunca se identificou ou se viu em algum momento entre as linhas de suas obras?

Muito lindo o texto, parabéns chará!

Lara Paiva disse...

Bons escritores, serão eternos. Quintana é um deles! Assim como Machado de Assis, Dias Gomes, Aluísio de Azevedo e entre outros. Parabéns pelo texto, foi bem delicado e fez aproximarmos de Quintana cada vez mais. Passe aqui:
http://malucavidaurbana.blogspot.com/

JOY disse...

Ídolo!
gostei mto...

bjos

Passa lá, atualizei:
http://joycebc.blogspot.com/

Blog Cupcake disse...

OOi (:
Eu tô aqui para responder a pergunta que você fez lá no cupcake:

PERGUNTA: Você acha que botinhas pretas de cano médio, sem salto, ficam boas com saia em mulheres baixinhas? Ou a cor as torna muito pesadas?

RESPOSTA: Como elas escondem a parte mais fina da canela, achatam a silhueta. Portanto, quando for usar a sua, aposte SIM em saias,e também em shorts que fiquem pelo menos 4 dedos acima dos joelhos. No caso da cor, dependendo do caso ela pode pesar o look. Ex. se você for usar peças com um estilo mais romântico, vai pesar sim, mais isso não é ruim! misture sempre varios estilos ta? no caso das peças terem um estilo mais rock'n'roll não pesa pois na maioria das vezes as roupas são de cores pretas e vermelhas então vai fazer um contraste bem legal (:

-Qualquer coisa é só entrar no forms e perguntar, vou responder com maior prazer *-*

www.formspring.me/blogcupcake

Lillo Dogmez, o licantropo. disse...

UMA CRÔNICA PERFEITA SOBRE MARIO QUINTANA.EU ADORO OS TEXTOS DELE E JÁ RECITEI ESSA DO PASSARINHO NA UNIVERSIDADE. E SE O QUINTANA FOSSE VIVO HOJE, ELE NÃO PRECISARIA INGRESSAR NA ABL. ELE SIMPLESMENTE TERIA UM BLOG.

TEXTO NOVO NO BLOG. PASSA LÁ:

http://thebigdogtales.blogspot.com/2011/07/vendo-e-nao-observando.html