segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Assessor de assuntos aleatórios

Outra daquelas celebrações tipicamente americanas. Outra que achei totalmente simpática. Hoje, 22 de agosto: Be An Angel Day – dia de ser um anjo. Alguns enviesariam o nariz, alegando não combinar com auréolas e asinhas. Discordo. Figurino de anjo é coisa que cada qual põe a seu gosto. Tem pra todo número. Não pode faltar é o combustível que sacode as asas: vontade de tirar, em todos os sentidos, a gravidade do dia alheio.

Primeira atribuição de um anjo diplomado, por exemplo. Ser delivery de boas-novas. Ter como sabor favorito o da notícia feliz. Sobra gente faminta por anunciar dois ou três apocalipses diários, a doença suspeitada, a morte consumada, a perda, a falência, o incêndio, o sumiço. Sobram urubus, há vagas para pombos-correio. Um carteiro de talento entrega e goza junto a aprovação no vestibular, bebemora o nascimento do afilhado, felicita pelo emprego atingido, traz a música, puxa a dança, enfeita a festa. Nada mais profissa que saber partilhar a alegria de outrem sem querer, da boca para dentro, consumi-la inteira.

Uma segunda tarefa de anjo recém-contratado: ser desviador de furada. Não necessária nem preferencialmente dando sermão. Conselheiro que é conselheiro mantém ao máximo a boca fechada e o olho (e o abraço) aberto. Acompanha mas não invade, aponta mas não empurra, sugere mas não violenta, conduz mas não arrasta. Invade, empurra e arrasta em casos extremíssimos. Vira óculos, ponte, manual, divã – não vira venda, bengala, cadeado e coleira. Vigia com discrição de fada, visita com sorriso de primo, bronqueia com licença de irmão. Anjo que é da guarda mora, transparente de peso e de volume, sentadinho no ombro. Zelo online com leveza de offline.

Anjo vestido de gente também trabalha por temporada, também assume o posto por dez segundos, vinte minutos, quatro horas. O tempo de um atravessar de rua, de um trocar de lâmpada, de um consolar de criança perdida, de um carregar de sacola pesada, de um ler de letrinha miúda, de um macete pra prova, de uma companhia pro médico, de uma dica de presente, de uma informação de trânsito. Tem anjice de toda sorte. Tem anjo de plantão pra toda obra: pra ser jornal, martelo, braço, mão, meteorologia, espelho, almofada, band-aid, semáforo. O que geralmente não tem é aviso prévio para essas anjices de ocasião. Pode-se entrar no carro, no prédio ou no elevador e ser convocado. O contrato chove ali, agora.

Da próxima vez que um desconhecido lhe oferecer asas, isto não é Impulse. Vista-as. Na rua seguinte, tem alguém (precisando de uma forcinha) que é o seu número.

7 comentários:

Inez disse...

Bem simpático o dia do anjo.

Lane disse...

Tem também dia de anjo? eu queria encontrar um no meu caminho de preferência lindo e sexy.

Vi vc na comunidade.. estou passando aqui e deixando meu recado.

bjos

Paulo Gomes. disse...

Que maravilha,coisa linda.Te dou parabéns de coração.Fica com DEUS e um abraço.Estou te seguindo.

KGeo disse...

nada contra o dia do anjo mais hoje em dia tá dando dia para qualquer coisa

felipe leon disse...

Dia do anjo ? até isso ...rsrsrs
http://fleonandthecity.blogspot.com/

ostons2.0 disse...

Dia do Anjo que legal sera que teremos o dia de Lucifer?

SURPRESAS DA VIDA disse...

Gostei do teu blog.
Estou te squindo
Visite o meu SURPRESAS DA VIDA
http://madaschutze.blogspot.com