terça-feira, 2 de agosto de 2011

Céu da boca

Qualquer bocado de comida um tantinho mais quente, pronto: ele se pela, magoado. Meu caso agora. Por um almoço engolido sem tempo de assoprar, estou com o céu da boca queimado, suscetível que sou às temperaturas extremas. Chatice. Mas foi só ferir o dito-cujo que comecei a pensar na graça da expressão: céu da boca. Por que não teto, telhado, alto, pico, polo Norte? Por que não metáfora alimentícia – em nenhuma região do corpo seria mais apropriada – como batata da perna, maçã do rosto? Por intuirmos talvez, poeticamente, céu e inferno que daí podem advir?

Crentes na raça humana, limitamos a comparação à primeira parte. Boca é lugar de fazer o paraíso alheio. Não falo de beijo e outras carícias diretas, que se reservam a uma parcela pequeníssima da humanidade. Falo de ser delivery de coisa boa para 100% das gentes. Ser veículo de felicidade portátil, spray de palavra aromatizada.

Boca é correio de voz, nosso cartão de visita, ícone que nos precede. Não carece gasto nem selo, cotas de céu podem vir de telegrama: um parabéns nos últimos dez segundos da véspera, um bom-dia anexo ao sorriso auspicioso, um obrigado que se pendura nos olhos, colado num se-não-fosse-você de reticências felizes. Um te-perdoo que nem se encomenda, um me-perdoa que toca a campainha antes do prazo, um te-amo que chega exatamente no dia. Um elogio dado sem pedido. Um disponha dado sem pedágio. Uma promessa dada em pedaços (capítulos diários de confirmação). Um te-ligo não mentido, um que-linda não aumentado. Uma bronca não imerecida (que nem só de bem-bom os céus se constroem). Em falta de substantivos, adjetivos e verbos disponíveis, interjeições cumprem. Tem melhor cobertor que “alô!” de mãe saindo do fone, melhor afrodisíaco que “uau!” de namorado?

Querendo, a gente monta castelos e põe sol nos dias. Não pode é botar palavra em ouvido alheio sem tempo de assoprar.

7 comentários:

Adriann disse...

Nossa, é verdade...
Parabéns...vc escreve muito bem e seu blog é muito bem feito...

Andy A. disse...

Ficou muito bom seu post , com um tema que parece comun mas não é ...

@marcosvolk disse...

É da abundancia do coração que a boca fala ;)

Sheila Lima disse...

Estava navegando pela net e tive a felicidade de encontrar o seu blog!!!

Convido você a dar uma passadinha no meu: http://docesonhodemenina.blogspot.com/

Ah, como amei seu blog, tenho um selinho para você: http://1.bp.blogspot.com/-68Bb05pFul4/Te1BfsqvBeI/AAAAAAAAATM/JPCRr0Mj7R0/s1600/dsm-selinho.jpg

Mil Sweetkisses!!!

Me fugaz devaneio disse...

haha q máximo. falou td nesse post! parabéns, ótimo blog! bj

Netinho disse...

Seu blog é fantástico, seus textos dispensam comentários. Escreves muito bem! Parabéns, voltarei mais vezes.


Estou voltando a escrever e postando aos poucos, veja se gosta dos meus textos também, ficaria feliz.

Obrigado!

http://sorteeacaso.blogspot.com/

Carol disse...

Definitivamente, a boca e a palavra é algo incrivel!