sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Forever young

Hoje é o Dia Internacional da Juventude. Devia ser feriado. Juventude é o maior estado de proclamação de independência da gente mesmo. É o tempo que começa quando se muda a plaquinha luminosa interna para o modo “livre”.

Nascemos jovens – todos. Com um ano de idade, tem gente que já é velha. Apanha, defende-se, amargura-se e morre matusalém aos cinco anos, com maior ficha corrida de desmandos e desgostos do que eu, você e seus avós somados. Mesmo se a coisa não degringolar nesse tanto, há os que, aos doze, têm rugas n’alma de fazer inveja a Benjamin Button. Beberam preconceitos de canudinho, depois direto no gargalo. Cresceram sabendo, com sorte, que a Terra é (quase) redonda – e olhe lá. Nunca entraram nos livros, portais de fazer o mundo mais largo e o coração mais moço. Nunca andaram em terras (Oz, Atlântida, Pasárgada, Sítio do Pica-Pau Amarelo) em que a gravidade é menor e a gente começa a pesar a metade, a metade da metade. Espírito atrofiado, voltaram-se para o que sobrou e estava à mão, o corpo. Era a ânsia de voar, um restinho de instinto jovem que dizia: há mais. Não achando o que havia mais, iniciaram-se sexualmente aos dez, tiveram o primeiro moleque aos onze, o quinto aos dezesseis. Lá vieram mais matusaléns (a matusalenidade se transmite).

E não me venham falar de planejamento familiar: falemos antes em planejamento de vida, em educação de alma, em prevenção da velhice interna. Voltemos no tempo, não falemos dos filhos que se penduram nas pernas daquele idoso de dezoito anos. Falemos nas âncoras que se penduraram no idoso uma década antes. Falemos dos voos sem visibilidade, dos arremedos de sonho gorados, dos projetos natimortos, das asas rasgadas, dos talentos assassinados com o travesseiro. Não falemos de todos que dele nasceram: falemos dos que nele morreram. Dos jovens que nele viviam, ensaiaram viver e não lograram existir – frutas derrubadas antes da hora, milhos que não arrebentaram. Piruás. Pessoas-piruá, como diria Martha. Ou pedaços de pessoa. Tentativas de juventude que se inauguram no nascimento e caem na arapuca antes da audácia do segundo passo. Antes que se metam a besta, que se achem gente, que virem pipoca.

Mas nem só de piruá forçado vive a velhice. Conheço uma rapaziada-assim – lida, sabida, instruída – que ainda não começou a ser jovem. Crê que o segredo está nas baladas, minissaias, rocks e passeatas. Não está. Isso é distração, crachá de jovem, perfumaria. Ser jovem é lento, pede às vezes uma eternidade. Principia, como falei, quando se começa a ser livre. Não das regras da mãe, não da vigilância do pai, não de fidelidade, não de compromisso, não de lei, não de moral, não de estudo, não de trabalho, não de fralda suja, não do cartão de ponto, não do serviço militar. Livre do que nos torna pesados por dentro. Livre do lixo que a gente, só a gente, se acumula; livre de radicais livres (emocionais). Livre de ressentimentos, fardo que envelhece 14 rugas por ano. Livre de invejas, castigo que nos custa 7,5 meses o grama. Livre de preconceitos que engessam as pernas, livre de timidezes que amarram a língua, livre de ciúmes que furam os olhos, livre de ganâncias que vergam os ombros. Livre da tralha do nosso autoquartinho de despejo.

Continuo a caminho. Mas planejo não demorar mais que 10 ou 15 anos para me aposentar de mim e finalmente ficar jovem. Depois é curtir os últimos 148 aninhos de mocidade que restam.

9 comentários:

@marcosvolk disse...

A Juventude é a melhor época da nossa vida, acho que se ela for aproveitada da melhor maneira, na velhice nós vamos nos lembrar dela da melhor maneira também.
;D

visita/comenta meu blog também?
www.maisqueindelevel.com

Abraços.

Viviane Camacho disse...

Fernanda,
Obrigado pelo comentário que fez no meu blog. Eu entendo o que vc quer diz com " è muito difícil seguir os 3 passos quando se é professora" Recomendo a você que leia o livro " O poder do subconsciente " De joseph murph. Esse livro mudou a minha vida e tenho certeza que também pode te ajudar. Não é mais um livro idiota de auto-ajuda nem religioso . Não to ganhando nada fazendo propaganda de tal livro. Só estou te recomendando por que acho que tenho que compartilhar com os outros algo que me fez tanto bem e hoje estou colhendo os resultados.
Bjs,
vivica.

Sandro Mangueirense disse...

Mais uma "aula" você dá aos leitores com esse texto sobre a juventude. Realmente ser jovem não está relacionado à idade cronológica e sim ao estado de espírito de cada um... Eu , como você, pretendo me manter jovem pelos próximos 100 anos no mínimo...

Abração

http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

Viviane Camacho disse...

Sobre o seu Post:
Adorei . Muito boa a sua descrição de juventude. Acho que estou rejuvenescendo. Não vi esse filme : Benjamin button. Mais acho que se trata da historia de um homem que nasce velho e vai rejuvenescendo. Eu me sinto assim. Pois sinto que estou me tornando livre. Livre de preconceito, de inveja, de inseguranças. coisas que eu possuía quando era mais jovem.

Viviane Camacho disse...

Sobre o seu Post:
Adorei . Muito boa a sua descrição de juventude. Acho que estou rejuvenescendo. Não vi esse filme : Benjamin button. Mais acho que se trata da historia de um homem que nasce velho e vai rejuvenescendo. Eu me sinto assim. Pois sinto que estou me tornando livre. Livre de preconceito, de inveja, de inseguranças. coisas que eu possuía quando era mais jovem.

Andy A. disse...

esse texto ficou ótimo , a época da juventude é uma das melhores , mas também a que mais fazemos m. basta ter consciência ... ao menos um pouquinho .

http://andyantunes.blogspot.com/

Lucas Moura disse...

Não posso deixar de parabenizar a escritora do texto, mas também não posso deixar de fazer algumas colocações.
A juventude é a época da indecisão, na qual um emaranhado de emoções vive na alma. Não se pode generalizar a juventude, pois cada jovem tem a sua peculiaridade e sonhos. Não li algo que dissesse o contrário no texto, mas só queria acrescentar tal pensamento...
Deve haver, acima de tudo, prudência e sabedoria pra viver uma boa juventude, sem ressentimentos e dias cães posteriores. Eu tenho uma visão muito espiritual; logo, acredito que tudo será acertado logo mais.
Deus é a melhor escolha que alguém pode fazer... Algumas pessoas ficaram boquiabertas quando escolhi esse caminho, posso dizer que até eu... Mas, depois descobri que foi Deus quem me escolheu. Finalmente descobri que não há coisa melhor que viver na presença dEle...
Estou aprendendo a amar, obedecer, sonhar, viver... Aprenderei mais um quinhão de coisas boas, que só Ele pode dar.
Boa tarde
por: http://quaddronegro.blogspot.com/

Rafael Queiroz disse...

juventude! tenho 23 anos e estou vivendo a juventude, espero que com 50 ainda esteja vivendo-a! gostei do blog tbm, obrigado pela visita! a corujinha mascote é legal mesmo, né? eu que fiz. to teseguindo! grande abraço

ostons2.0 disse...

Como é bom essa faze gostaria que durasse mais, porem a juventude se faz e é possivel ter 70 anos e ser jovem